08/04/11 | 3:12 PM
Campanha de Combate ao Caramujo Africano atende 85% das ocorrências

Faltando ainda dois meses para o final da Campanha de Combate ao Caramujo Africano 2011, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) já conseguiu atender a um total de 85% das ocorrências de focos do molusco, distribuídas nas cinco zonas da cidade. Desde o dia 21 de janeiro – quando o secretário Marcelo Dutra deflagrou a campanha em Manaus – até agora, a Semmas recebeu um total de 235 denúncias de focos de caramujos. Dessas, 185 (o equivalente a 85%) já foram atendidas. Até o final da campanha, previsto para o próximo mês de junho, a Semmas espera zerar todas as demandas, já tendo notificado e orientado os proprietários de 83 terrenos baldios na cidade onde existiam focos de caramujo provenientes do acúmulo de lixo e da falta de manutenção.

Com esse trabalho, a secretaria conseguiu reduzir em quase 100% o número de denúncias relativas a caramujos africanos, visto que não estão sendo registradas reincidências de casos nos locais notificados. “Hoje não recebemos mais denúncias relativas a focos antigos nem novos, o que é um indicativo da eficácia das ações de orientação repassadas à população”, afirmou o chefe do Setor de Ações Educacionais para as Comunidades, Murilo Cirino, coordenador da campanha. Ele lembra que o trabalho vem sendo realizado em conjunto com a Divisão de Controle de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), uma vez que durante as visitas técnicas aos locais também são encontrados focos do mosquito Aedes aegipty, transmissor da dengue.

Um dos locais em que a ação da Prefeitura de Manaus surtiu excelente efeito foi o bairro de Santa Etelvina, na Zona Norte, onde a Semmas não tem registro de mais nenhuma ocorrência. “A área era uma das mais críticas da cidade, tanto que foi o local escolhido como ponto de partida da campanha deste ano, com um total de 27 denúncias de focos na área e hoje apresenta um quadro estabilizado de ocorrências”, ressalta o técnico. Até o final de fevereiro, o bairro era o campeão em denúncias.  A campanha identificou no total 118 terrenos baldios, com predominância na Zona Norte.