10/09/18 | 2:09 PM
Manaus vai ganhar mais um Parque da Juventude em área verde

Nos próximos dias, a Prefeitura de Manaus vai inaugurar mais um Parque da Juventude em área verde, chegando ao quinto espaço destinado à atividades esportivas e de lazer, ao mesmo tempo em que integra a população ao meio ambiente, recuperando áreas verdes antes degradadas, por meio de compensações ambientais.

O Parque da Juventude do conjunto Rio Xingu, localizado na Compensa, zona Oeste de Manaus, entre a rua Cecília Cabral e a avenida Brasil está localizado em uma área verde de 50.726 metros quadrados, dos quais 1.210 metros quadrados de área construída. O local conta com academia ao ar livre, paisagismo, quadra de areia, iluminação a LED e o reforço no plantio de 25 mudas de árvores, das espécies pau-pretinho e pata-de-vaca, e 600 ornamentais, entre iresine e trapoeiraba.

Segundo o prefeito Arthur Virgílio Neto, desde 2015, mais de 80 mil metros quadrados de áreas verdes receberam reforço na proteção. “É um belíssimo exemplo de que gestão sustentável não precisa de grandes investimentos. Os Parques da Juventude foram viabilizados por compensações ambientais, ou seja, a iniciativa privada nos paga os valores correspondentes a multas ambientais em ações que recuperam espaços verdes em várias zonas da capital”, destaca.

No conjunto Rio Xingu, o parque foi viabilizado, por compensação ambiental, firmada entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) e a concessionária Manaus Ambiental. A revitalização da área protegida era uma reivindicação dos moradores do conjunto e vai beneficiar os bairros adjacentes.

Atualmente, existem outros quatro parques da juventude instalados – um no conjunto Campo Dourado, na Cidade Nova, zona Norte; dois no Loteamento Nascentes das Águas Claras, Novo Aleixo, também na zona Norte; e um no conjunto Castelo Branco 2, no Parque 10 de Novembro, zona Centro-Sul. Até o final do ano, a Prefeitura de Manaus estará finalizando os estudos para a implantação de outros dois Parques da Juventude – no núcleo 15, do conjunto Cidade Nova, zona Norte, e no conjunto Hileia, na zona Centro-Oeste. Estudos também estão em andamento sobre a viabilidade de implantação dos Parques da Juventude nos conjuntos Renato Souza Pinto e Águas Claras 1.

A Semmas realiza os levantamentos para identificar áreas verdes de conjuntos habitacionais que ainda estão preservadas, em sua totalidade ou parcialmente, para a implantação dos Parques da Juventude. A estratégia aproxima a população das áreas verdes, melhorando a qualidade de vida dos moradores do entorno e assegura maior proteção ao espaço.

“Essas são áreas que, antes da intervenção da prefeitura, serviam para o descarte irregular de lixo e para ações de bandidos, hoje, estão sendo utilizadas em sua plenitude pelos moradores, evitando, assim, o risco de ocupação irregular”, explica o secretário da Semmas Antonio Nelson de Oliveira Júnior.

Critérios

As intervenções realizadas obedecem a critérios legais estabelecidos em legislações existentes, a exemplo da Resolução 100/2006, do Conselho Municipal de Desenvolvimento e Meio Ambiente (Comdema), que prevê a implantação de áreas de lazer em áreas verdes, respeitando o limite máximo de 25% de impermeabilização do solo, e os conceitos de área verde estabelecidos pelo Código Ambiental do Município, Lei 605/2001, e o Código Florestal (Lei 12.651/2012), segundo os quais as áreas verdes são espaços especialmente protegidos que têm por finalidade proporcionar a melhoria da qualidade de vida da população e das condições ambientais urbanas, além de garantir espaços destinados à integração, recreação ou lazer da comunidade.

Áreas Verdes com Parques da Juventude

– Conjunto Campo Dourado: 21 mil m2

– Conjunto Loteamento Águas Claras (1 e 2): 7.329,36 m2

– Conjunto Castelo Branco 2: 9.916 m2

– Conjunto Rio Xingu: 50.726 m2

— — —

Fotos: Márcio James / Arquivo Semcom

Disponíveis em: https://flic.kr/s/aHsm4SXwZX