03/02/20 | 11:23 AM
Novos parques da Juventude estão em fase final

Em continuidade à política de gestão de áreas protegidas municipais, o prefeito Arthur Virgílio Neto entregará, em breve, mais dois parques da Juventude, dessa vez nas zonas Norte e Centro-Oeste. Os conjuntos contemplados serão Hileia 2, no bairro Redenção, e Núcleo 15, na Cidade Nova. Os espaços contarão com arborização e paisagismo, pistas de caminhada, mesa de jogos, pergolados, academia ao ar livre, iluminação de LED e parquinho infantil.

A proposta, que integra o programa “Espaço Verde na Comunidade”, é resgatar áreas verdes antes degradadas, usadas como lixeiras viciadas, e transformá-las em espaços de lazer para a comunidade, reflorestando e valorizando o verde e levando mais qualidade de vida para os manauaras. Na atual gestão, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) mapeou e realizou diagnósticos socioambientais em 31 áreas verdes de conjuntos habitacionais da cidade.  Dessas, dez já foram entregues totalmente revitalizadas pelo prefeito Arthur Neto.

“Com certeza, os parques da Juventude estão entre os legados da gestão ambiental do prefeito Arthur Virgílio. As áreas verdes passaram a receber intervenções ambientais e equipamentos públicos, com a implantação de parques da Juventude, viabilizados com recursos de compensação ambiental, que melhoram a qualidade de vida dos moradores e revalorizam espaços com uma função ambiental tão importante”, explicou o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Antonio Nelson de Oliveira Júnior.

Esta semana, o secretário realizou vistoria técnica nas áreas verdes do Núcleo 15 e do Hileia, os próximos a serem contemplados com parques da Juventude. A visita foi acompanhada por técnicos da Semmas e representante dos moradores, que estão satisfeitos com a iniciativa. Durante a inspeção, Antonio Nelson sugeriu alterações em trechos da revitalização no conjunto Hileia 2, em consonância com os interesses da comunidade.

As intervenções do programa “Espaço Verde na Comunidade” ocorrem sempre em áreas que sofrem pressão, seja por tentativas de invasão ou descarte inadequado de resíduos. “São áreas verdes que recebem revitalização com equipamentos urbanos e reforço da vegetação. Praticamente sem uso, elas passam a desempenhar suas funções socioambientais num processo construído com a comunidade”, finalizou Antonio Nelson.

Fotos – Arlesson Sicsú / Semmas

Disponíveis em – https://flic.kr/s/aHsmL3u9su