06/08/19 | 9:28 AM
Operação de combate à poluição sonora faz apreensão em casa de funk clandestina

Uma casa de funk clandestina, que funcionava em uma residência de um condomínio situado na avenida Mário Ypiranga, bairro Adrianópolis, zona Centro-Sul, teve os equipamentos de som apreendidos na noite desta sexta-feira, 2/8, durante operação de combate à poluição sonora realizada pela Central Integrada de Fiscalização (CIF), coordenada pela Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas).

O local vinha funcionando clandestinamente e causando transtornos aos vizinhos. O proprietário não foi encontrado pelos fiscais da Semmas e deverá comparecer à sede do órgão para os devidos procedimentos. Além do barulho, segundo os policiais militares, a área seria utilizada também para uso de entorpecentes e prática de orgias.

Foram feitas ainda apreensões de equipamentos de som em outros estabelecimentos das zonas Sul e Centro-Sul. Em um bar na rua Marquês da Silveira, no bairro São Francisco, teve apreensão de caixas e mesas de som. Dois bares na orla do Amarelinho, em Educandos, também receberam autos de apreensão, assim como um estabelecimento da avenida Manaus 2000, no Japiim, e uma casa de pagode na avenida Libertador, bairro Nossa Senhora das Graças.

Segundo o chefe da Gerência de Operações Noturnas da Semmas, Davi Fernandes, um dos bares da Orla do Amarelinho possuía licença mas descumpria condicionantes. “Tivemos dificuldade em localizar os proprietários dos estabelecimentos e responsáveis. Por isso realizamos as apreensões e aguardaremos que os donos se apresentem na secretaria para requerer seus equipamentos”, explicou.

A operação contou com a participação das Polícias Civil e Militar, Batalhão da Trânsito da PM, Juizado da Infância e Juventude, Corpo de Bombeiros, Gestão de Trânsito do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU) e Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

Segundo a Semmas, de janeiro a junho deste ano, as ações integradas de fiscalização somaram 100 diligências a estabelecimentos, com uma eficácia de mais de 80% na autuação dos locais denunciados.

Foto – Divulgação / Semmas