07/08/17 | 9:16 AM
Palestra sobre Plantas Alimentícias Não-Convencionais no Parque Lagoa Senador Arthur Virgílio Filho

O Projeto Escola Verde no Parque, desenvolvido pelo Parque Municipal Lagoa Senador Arthur Virgilio Filho, no Japiim, realizará no próximo dia 18/08, das 8h às 12h, uma palestra sobre Plantas Alimentícias Não-Convencionais, conhecidas como plantas PANC. O palestrante será o professor doutor Valdely Ferreira Kinupp, referência na área e autor do livro “Plantas Alimentícias Não-Convencionais (PANC) no Brasil: guia de identificação, aspectos nutricionais e receitas ilustradas”. A palestra, que não será oferecida no formato minicurso, com dois dias de duração e sim em apenas uma manhã, terá como finalidade apresentar à comunidade o potencial alimentício de plantas que existem em abundância na natureza e que ainda não foram introduzidas na rotina da alimentação humana. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelos telefones 3236-6557 e 3236-8013, das 8h às 12h e das 13h às 16h.

A palestra integrará o cronograma que vem sendo realizado desde o início do ano com minicursos e oficinas de capacitação que acontecem no auditório do Parque Lagoa. “O auditório foi inaugurado no ano passado pelo prefeito Arthur Virgílio Neto, junto com as obras de revitalização do parque, para funcionar como um espaço voltado para a educação ambiental e estamos fazendo um excelente uso do mesmo, com cinco minicursos de temáticas diferentes realizados este ano e 382 participantes”, afirmou o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Antonio Nelson de Oliveira Júnior. Segundo ele, até o final do ano, serão realizados outros minicursos e palestras dentro do projeto.

Valdely Ferreira Kinupp é biólogo e Doutor em Fitotecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente, trabalha como professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Campus Manaus Zona Leste). Ele explica que, no livro, estão catalogadas 351 espécies de plantas PANC e um total de 1.053 receitas, com fotos dos pratos, feitas a partir do reaproveitamento das mesmas. “As PANC não são plantas corriqueiras e não estão na boca do povo. A maioria é classificada como mato, erva-daninha ou venenosa, quando na verdade não são”, explica ele.

O professor ressalta que a proposta do trabalho é popularizar o conhecimento acerca destas espécies e permitir que a população possa gradativamente adotar hábito diferenciados de alimentação. “Tem muito de mito e desconhecimento por parte das pessoas que vivem na cidade e buscam apenas as frutas e hortaliças consagradas, frutas regionais tradicionais, quando pelo menos 10% da flora mundial são comestíveis, tem potencial alimentício”, explica ele. Os hábitos alimentares da grande maioria da população são considerados monótonos e repetitivos. “Essa monotonia pode levar a vários problemas de saúde”, alerta.

De acordo com o diretor de Arborização e Paisagismo da Semmas, em exercício, Deyvson Braga, as pessoas estão acostumadas a um repertório de hortaliças e legumes, quando as PANC podem ser introduzidas na alimentação. “São plantas que existem em abundância e tem potencial para serem introduzidas na alimentação humana e nós, enquanto órgão gestor da arborização urbana, podemos contribuir para o acesso da população a esses conhecimentos por meio de palestra realizada pelo professor doutor Valdely Ferreira Kinupp, a quem agradecemos desde já a disponibilidade de participar do nosso projeto”, afirmou. A palestra será aberta para a população em geral. Terá aproximadamente duas horas de duração, seguida de uma atividade prática de caminhada para identificação de espécies num terreno de cultivo de plantas PANC.

Fotos: Divulgação / Semmas

Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas)

3236-6684/98842-1243