10/04/17 | 12:07 PM
Prefeitura da Manaus forma brigada de combate ao caramujo africano na Vila da Prata

moldura site112

A Prefeitura de Manaus realizou, neste final de semana, mais uma formação de brigada de combate ao caramujo africano. Desta vez, o treinamento foi dado aos moradores da Vila da Prata, na zona Oeste, a partir de demanda feita à Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) pelo Conselho Comunitário do bairro. Com essa, sobe para seis o número de brigadas formadas este ano, com mais de 100 pessoas capacitadas. As formações são divididas em duas etapas. Na Vila da Prata, a parte  teórica ocorreu na noite do sábado, 8, e a prática, com a atividade de coleta do caramujo propriamente dita, pelas ruas e becos do bairro, na manhã deste domingo, 9.

A formação de brigadas nas comunidades foi a estratégia encontrada pela Semmas para atender de forma eficiente a missão de orientar a população sobre o combate à praga do caramujo africano. A medida dá cumprimento também à determinação do Ministério do Meio Ambiente, prevista na Resolução 05/2009, da Comissão Nacional de Biodiversidade (Conabio), segundo a qual até 2020 todos os Estados e Municípios terão que adotar medidas eficazes de combate a espécies exóticas invasoras.

Para o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade,  Antônio Nelson Oliveira Júnior, com essa iniciativa a gestão Arthur Virgílio Neto e Marcos Rotta cumpre o dever de sensibilizar a população quanto à necessidade de se envolver como co-responsável pelas medidas de combate a essa espécie. A resolução da Conabio dispõe sobre a Estratégia Nacional sobre Espécies Exóticas Invasores, considerada a segunda maior causa da perda de biodiversidade.

As formações ocorrerão ao longo deste primeiro semestre do ano,  durante o período chuvoso, quando ocorre a proliferação dos caramujos africanos.  O chefe da Divisão de Educação Ambiental da Semmas, Raimundo Araújo, responsável pelas ações, explica que a nenhum órgão se responsabiliza pela coleta do caramujo africano. “Nossa missão não é coletar e sim orientar, seja por telefone, pelo site, realizando visitas técnicas,  distribuindo material informativo e agora fazendo a formação de brigadas após solicitações em todas as zonas da cidade de Manaus”, explicou.

O público-alvo das formações são conselhos comunitários, escolas, associações, clube de idosos, empresas privadas e repartições públicas, bastando entrar em contato pelo telefone 3236-8587. “A ideia é capacitar as pessoas para que sejam também multiplicadoras de informações e possam mitigar a propagação do molusco”, afirmou Araújo. O presidente do Conselho Comunitário da Vila da Prata, Crisanto Damião, afirma que com as orientações que já havia recebido anteriormente junto à Semmas conseguiu erradicar o caramujo africano da rua onde mora. “A desinformação é o que prejudica. Muitas vezes,  por não saber o que fazer e ter medo,  as pessoas acabam permitindo que a proliferação do animal ocorra dentro de sua própria casa”, afirmou ele, agradecendo a parceria da secretaria com o conselho.

O conselheiro Denes Rogerio, 41, morador do bairro, lembra que há muito tempo a Vila da Prata não tinha uma ação como essa. “A parceria com a Semmas vem enriquecer ainda mais o trabalho do conselho e permitir que possamos propagar as informações acerca dos procedimentos a serem adotados. Esse é um trabalho fundamental para livrarmos a Vila da Prata da praga do caramujo africano”, afirmou.

As próximas formações de brigadas acontecerão no Zumbi, Redenção, Conjunto Flamanal, São José e Cidade Nova – Núcleo 15, onde foram registrados os maiores índices de caramujo africano. A Semmas disponibilizou também no site semmas.manaus.am.gov.br  as informações sobre os procedimentos que podem ser adotados para a coleta e descarte correto do caramujo.

 

Fotos: Divulgação/Semmas